Fanga II

Imagem de Vel Z a partir de gravura de Manuel Ribeiro de Pavia

Para optimizar a visualização opte pelo formato vertical, se aplicável.

Para optimizar a visualização opte pelo formato vertical, se aplicável.

LOCAL E DATAS

Porto, Teatro Nacional São João TNSJ
08 a 11 de Fevereiro de 2024
Quinta-feira e Sábado 19h, Sexta-feira 21h, Domingo 16h

APRESENTAÇÃO

Projecto de investigação, FANGA é um tríptico de perfinst (“FANGA I”, “FANGA II” e “FANGA III”) ao serviço do romance homónimo de Alves Redol, um dos ápices da literatura neo-realista portuguesa, que se inspira também nas gravuras com que Manuel Ribeiro de Pavia ilustrou a edição da obra de 1948. FANGA enaltece a força do exemplo, a consciencialização política, a dignidade popular, a solidariedade laboral, também o respeito pelo ambiente que Manuel Caixinha e companheiros protagonizam, numa obra que ecoa temáticas como as violências doméstica e de género, o assédio sexual, a exploração de classes, a pobreza, a iliteracia, entre outras, desafortunadamente ainda tão presentes nas sociedades mundiais contemporâneas.

“FANGA II” localiza as obras de Redol e Pavia no palco de cena à italiana do Teatro Nacional São João, oferecendo a uma plateia de lugares sentados uma leitura dramatúrgica narrada que integra elementos performativos e plásticos. Momentos de representação mais teatral ou expressionista; instalações de objectos que migram de um avançado de fosso de orquestra e se metamorfoseiam no interior da caixa de palco para serem devolvidos ao exterior a duas dimensões; um ciclorama e uma tela geradores e receptores de imagens; personagens de anfitriãs exuberantes ou moças de campo, campinos e abegões, dois mortos impressionantes; uma escultura barroca ritualizada e viva com núcleo numa seira; um pai esqueleto ou um boneco de teclas de piano veneziano, alma daquele – integram toda uma imensidão de estímulos e sugestões que metaforizam, ironizam, sublinham, antagonizam o texto integrante da banda sonora, reforçando-se a abrangência e universalidade das palavras de Redol.

FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA


autoria texto

Alves Redol

autoria gravuras

Manuel Ribeiro de Pavia

conceito, direcção, instalação e narração

Luís Castro

assessoria

Vel Z

assistência dramatúrgica e narração

Inês Vaz

interpretação

Paula Só

Inês Vaz

Valentina Parravicini

Nuno Veiga

Daniel Moutinho

criação de som

Nuno Veiga

operação vídeo e making of

João Ramos

operação de som

André Sobral

confecção de figurinos

Davi Rodrigues

gestão de comunicação e conteúdos

Graça Fonseca

gestão administrativa e financeira

Márcia Matos

assessoria informática

João Bertrand Cabral

FINANCIAMENTO E APOIOS

financiamento institucional

República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes
Câmara Municipal de Lisboa

co-produção

Karnart C.P.O.A.A. 
Teatro Nacional São João

agradecimentos

António Redol, Arlindo Fernandes, Diana Fernandes, Diogo Paiva, José Costa, Lia Gama, Maria João Teixeira, Sérgio Godinho, Susana Taveira Pinto, Teresa Castro, e ainda Associação Promotora do Museu do Neo-Realismo, Casa-Museu Manuel Ribeiro de Pavia.

GALERIA

Fotografias por João Tuna / TNSJ

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO
COMENTÁRIOS